Leilão A-5 recebe confirmação da ANEEL e solidifica o setor de geração de energia a partir de resíduos sólidos

Leilão A-5 recebe confirmação da ANEEL e solidifica o setor de geração de energia a partir de resíduos sólidos

No dia 30 de setembro de 2021, aconteceu o leilão A-5 para contratar energia nova. Esse certame teve empreendimentos de geração de fontes hídrica, eólica, solar fotovoltaica; e termelétrica a biomassa, a gás natural e a carvão mineral nacional. Essa licitação assim foi a primeira do País a comercializar energia proveniente de resíduos sólidos urbanos (RSU) por meio da tecnologia de recuperação energética ou waste-to-energy (WtE).

Entre doze projetos de RSU participantes, a URE Barueri foi a vencedora. Ela fornecerá cerca de 75% de sua capacidade total, ou seja, 12 MW, a partir de 1º de janeiro de 2026. O contrato tem 20 anos de duração.

Na terça-feira (25), a Agência Nacional de Energia Elétrica confirmou o resultado desse leilão. A Aneel habilitou portanto os 16 geradores que negociaram contratos para venda de energia de 20 usinas solares fotovoltaicas, oito termelétricas, 11 eólicas, uma hidrelétrica e da URE Barueri. As obras da URE Barueri terão início assim neste primeiro semestre. A unidade gerará 20MW de potência instalada e tratará 870 ton/dia de RSU.

Para o presidente da ABREN (Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos), Yuri Schmitke Tisi, a confirmação do leilão é portanto um passo importante na sedimentação do setor de RSU no Brasil. “Ele permitirá o início das obras da primeira usina de recuperação energética de RSU do Brasil. No mundo, existem 2.445 usinas em operação. E agora o Brasil dá assim um passo importante para a consolidação dessa fonte na matriz energética brasileira”, afirmou Schmitke.

A Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (ABREN) tem como meta fomentar a recuperação energética de resíduos. Seu objetivo é resolver simultaneamente dois grandes problemas atuais do Brasil e do mundo: a destinação dos resíduos sólidos e a geração de energia limpa. A problemática dos resíduos, produzidos em quantidades cada vez mais monumentais, danificando o meio ambiente, a biodiversidade e a saúde pública, passou assim a ter uma solução, o da recuperação energética.

A ABREN integra o Global Waste to Energy Research and Technology Council (GWC), instituição de tecnologia e pesquisa proeminente que atua em diversos países. Com sede na cidade de Nova York, Estados Unidos, seu objetivo é portanto promover as melhores práticas de gestão integrada e sustentável de resíduos por meio da sua recuperação energética, conhecida como Waste-to-Energy (WTE) ou Energy from Waste (EfW). O Presidente Executivo da ABREN é também o Presidente do WtERT Brasil, representando desta forma o Conselho Global do WtERT (GWC).

A entidade é associada da Associação Internacional de Resíduos Sólidos ou International Solid Waste Association (ISWA) e da Federação da Indústria Alemã de Gerenciamento de Resíduos, Água e Matérias-primas ou Bundesverband der Deutschen Entsorgungs, Wasser-und Rohstoffwirtschaft e. V. (BDE). Isso permite à ABREN receber informações relevantes sobre o mercado de resíduos internacional. Além de participar de eventos, integrar grupos técnicos de trabalho e buscar a troca de conhecimento para o desenvolvimento do mercado brasileiro.

Leia também Com investimento de mais de R$ 500 milhões em Lencóis Paulista (SP), nova usina produzirá energia a partir de biomassa